Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2009

Inexoráveis!!

I
Hora Morta, já beira meia-noite, Hora viva, de nosso Nascimento; Hora do Tempo, Tempo é um açoite Que toma pra si um fixo assento.
Tempo do Tempo, que sôfrego Mata e faz a tudo renascer. No raiar da alvorada, a vencer A Noite, o teu Sol se iça, trôpego.

II
Aos amigos, oferecemos poesia!! Aos inimigos, a quem não se fia A Justiça, que é a Vida ensinando Pela Dor, a qual não se tem amando!!
O Mundo, a primeira Casa Grande, Reflete-se em miniatura em nosso interior De nossa alma que, quando se expande, Nos diz: "Não é banal cada verso de Amor".
****************************
- Composto em forma de comentários no blog da amiga angolana Lili Laranjo -

Vida Destemida

De que vale a vida em meio à covardia?? De que vale ela sem um pouco de poesia?? Se a mesma Vida é a Grande Mãe-Musa Dos homens cegos e dos de mente obtusa!!
O que somos nós para ti, ó Primeira Vida, Nós, as crianças da Luz interna abafada?? O que fazemos por vós, ó Mãe Incriada, Se não formos corajosos, de vida destemida??
Em meu peito incendeias uma brasa infinita, E em minha Língua, Palavra de Amor bendita, Para a renovação do velho coração dormente!!
Ó Vida, se a língua mata o Amor, quando mente, Se o homem, quando ama, não diz o que sente, Fecha minha boca, e corta minha língua maldita!!


- Sob inspiração das palavras de Gemária Sampaio, amiga querida, comentando o
post
O
Barroco é Pop?? (por ClóvisBulcão)
-

Fome e Sede: os dois sentimentos mais devastadores da Natureza

Papo brabo esse, não é mesmo?? Mas, talvez, por essas coisas em pouco ou nada nos afetarem, a nós, que achamos sermos abençoados só por termos internet em casa, é que não nos importamos tanto. Podemos até fazermos aqui ativismo político pelo combate à fome, pelo fornecimento de água ao semiáridonordestino. Mas não é a mesma coisa, pois essas coisas não fazem nosso corpo reclamar. Temos essas necessidades satisfeitas (por água e comida) e voltamos nossa atenção para outros assuntos "menos" essenciais. Mas. e os que carecem dessas coisas básicas, mínimas??
Não é minha intenção fazer aqui algum tipo de demagogia barata. É somente o assunto que apareceu prioritariamente na minha mesa de blogagem, para que eu o despachasse...
Na quinta-feira, quando eu vinha para casa do meu segundo dia de trabalho como escriturário de almoxarifado, no ônibus, um senhor começou a puxar papo comigo. Segundo ele, tinha 61 anos de idade e 7 filhos. Todos trabalhavam, tinham seus filhos e suas famílias…

Madrepérola

Um pescador mergulhou em si mesmo:
Foi buscar no leito misterioso do oceano
Uma pérola para sua vida, mas não a esmo,
Pois seu coração é bravo, ainda que insano.

Não levou arpão, não levou nem rede;
Não pensava em comida e não tinha sede.
Pois a pérola lhe ia mudar inteiro o nome,
Que era Ira, mas que com a Alegria agora some.

Lama levantou, e a foi caçar lá no fundo;
Procura mais árdua e intensa não há no mundo.
Mais a ninfa, a nereida, brilhou acima de si:
"Vem, triste pescador, vem a sorrir aqui!!"

Entre soluços e borbulhas, à deriva naquele sorriso,
Trêmulo, mas nadando, se aproximou de improviso.
Ouviu atento: "As pérolas são sorrisos a brilhar
No coração do meu mundo, no coração do teu Mar"!

Inveja do Mar

Por querer seguir os passos de seu ídolo, como todo fã, fiz essa poesia para o Carlos Drumond de Andrade. Uma dulcíssima amiga minha, a Syssim, deixou em um de seus posts uma pegada tímida do Drumond. E baseado nessa pegada nasceu essa pérola:


Inveja do Mar
O Mar é tão vasto, imenso, tão pleno, E suas ondas se agigantam sobre a janela, Só para mirar em teu ventre, que se desvela Sob o úmido lençol, já deveras pequeno.
O Amor é tão casto, intenso, tão sereno, Seus braços nos envolvem em paz mais singela; Mas precedido pela Paixão, sempre sentinela De que o Fogo não se nos torne em veneno.
No teu Mar, o meu repasto, puro ou obsceno; Em tuas ondas me afogas, mesmo à luz de vela. És Água da Vida, onde a brasa rubra se anela, Calma, perseverante, ao meu bravio terreno.







Pastor João e a Igreja Invisível (Raul Seixas)

Não me entendam mal. Não é que eu queira pegar no pé de alguém (ou de alguns), ainda que alguns deixem o rabo para ser puxado... Às vezes, até eu me entendo mal. Porque será que teria de postar justamente um vídeo com o teor como o desse??

Não sei, mas um fogo abrasador arde em meu peito... Parece que estou escutando uma voz conversando comigo...Deixa eu me concentrar.

...Sim, estou uma escutando uma voz... uma voz soando forte e vigorosa em meus ouvidos....uma presença irresistível. Ela está me profetizando algo.

É minha mulher, me atasanando para postar logo esse vídeo infame e ir ajudá-la a fazer o almoço, pois é domingo e eu não tenho desculpa que estou cansado. É melhor eu ir, antes que, ao invés de fogo do céu e dinheiro, o que é mais difícil, chova panelas na minha cabeça.