29 de janeiro de 2009

Homem-bode preso na Nigéria por roubo de carro

Seguranças alegam que bandido se transformou em um bode depois de tentar roubar um carro na Nigéria. (Foto: Reprodução/Sky News)

A polícia nigeriana prendeu um bode após seguranças alegarem que um bandido que estava em fuga havia se transformado no animal depois de tentar roubar um carro Mazda, de acordo com a emissora britânica "Sky News".


Foto: Reprodução/Sky News


Segundo o porta-voz da polícia no estado de Kwara, Tunde Mohammed, os vigilantes relataram aos policiais que, enquanto estavam fazendo uma patrulha, eles viram duas pessoas tentando roubar um veículo.

De acordo com Mohammed, os seguranças contaram ainda que "perseguiram os criminosos, mas um deles escapou enquanto o outro se transformou em um bode".

Apesar da história surreal, o animal ficou detido na delegacia. "Não podemos confirmar a história, mas o bode está sob nossa custódia", afirmou Mohammed.

Em algumas partes da Nigéria, nação mais populosa da África, muitas pessoas acreditam em feitiçaria. Após a prisão do animal, muitos nigerianos têm ido até a delegacia para ver o bode e poder fotografá-lo.

***

Se isso tivesse ocorrido no Brasil, o que você diria??

a) No caso de os bodes serem, "por natureza", ladrões, é sinal de que não notamos quantos pares de chifres e sujeitos do "galho furado" transitam pelos currais de Brasília;

b) Na atual situação sócio-econômica brasileira, esse seria apenas mais um "bode expiatório" pra encobrir as a-berrações de nosso cotidiano;

c) Significaria que Roberto "Bobby" Jefferson seria um novo goatman (homem-bode) do showbizz das CPIs, quando diz a Zé Dirceu: "Você desperta em mim os instintos mais primitivos".

Grandes Enigmas do Universo - Bush, Presidente dos EUA

Como primeiro post dessa série, gostaria de compartilhar minha grande perplexidade, ao formular a questão:

Como pôde o povo americano eleger uma besta alegre, como o George W. Bush, como presidente da maior potência militar mundial??

Ele simplesmente mergulhou os Estados Unidos na maior crise financeira desde 1929, tendo brincado de casinha, dando uma de Vingador cowboy (da Caverna do Dragão), por oito anos. Empregou mais um trilhão de dólares em guerras por motivos familiares (de "honra" e finaneiros) contra Iraque e Afeganistão. Bater em bêbado é fácil. Mas vão ver se ele bate de frente com a Rússia e com a China...

Com essa cara de paspalho incorrigível, ele foi eleito por duas vezes. Mesmo sabendo que, no pleito em que ele se reelegeu, concorria com um cara (John Kerry) que também tinha um ar psicótico de "não riam de mim senão eu choro", foi um erro que talvez tenha selado de uma vez o começo da derrocada americana (e de seus capachos, tais como nós, em consequência). Lembrando daquele inesquecível sorriso de quem ainda tem grandes restos de peito de frango nos caninos, vejamos porque não aceito que alguém como aquele asno tenha se elegido para alguma coisa:



Respondam rápido: O que pode ter acontecido ali?

a) Ele estava numa crise de hipoglicemia grave;

b) Esqueceu de tomar seus remédios de tarja-preta depois do uísque (ele coordena melhor as palavras quando está "legalzão");

c) Ele veio de Antares e ninguém sabia; (num surto psicótico, esqueceu-se de falar em inglês)

d) Isso acontece porque ele é um asno mesmo, e ninguém tem nada a ver com isso.

27 de janeiro de 2009

Pesquisa "inédita" sobre o Pão

1. 100% dos consumidores de pão acabam MORTOS.

2. 98,3% dos presidiários que cumprem pena por crimes violentos, são usuários de pão.

3. 85,2% de todos os alunos do ensino médio que obtém resultados insatisfatórios nas provas, consomem pão diariamente.

4. No século XVIII, quando todo o pão era preparado nas próprias residências, a expectativa de vida média era de menos de 50 anos. As taxas de mortalidade infantil eram absurdamente elevadas, muitas mulheres morreram no parto e doenças tais como a febres, tifóide, amarela, e surtos de gripe dizimaram cidades inteiras.

5. 92,7% dos crimes violentos são cometidos dentro de 24 horas depois da ingestão de pão.

6. O pão é feito basicamente de farinha de trigo. Está provado que menos de 500 gramas de farinha de trigo são suficientes para sufocar um rato. O indivíduo médio, que consome em média dois pães de cinqüenta gramas por dia, terá ingerido no final do mês farinha suficiente para ter matado seis ratos.

7. Sociedades tribais primitivas que não fazem uso do pão, apresentam baixa incidência, de câncer, do Mal de Alzheimer, de Parkinson e da osteoporose.

8. Está provado estatística e cientificamente que o uso do pão, causa dependência física e mental. Pesquisa feita em voluntários, revelou que 99,8% daqueles que foram submetidos a uma dieta forçada somente à base de água, imploraram por pão, em três dias ou menos.

9. O pão é um alimento freqüentemente utilizado em conjunto com outros alimentos pesados e prejudiciais à saúde, tais como a manteiga, queijo, geléia e aos embutidos ricos em gorduras e colesterol.

10. Testes científicos comprovaram que o pão absorve a água. Partindo do princípio que o mais 90 % corpo humano é água, todo aquele que ingere pão, corre o risco de sofrer desidratação grave.

11. O pão é assado em fornos cujas temperaturas são mantidas acima de 200º Celsius. Essa temperatura pode matar um indivíduo adulto em menos de um minuto.

12. 58% dos indivíduos que consomem pão, são totalmente incapazes de distinguir entre fatos científicos comprovadamente significativos e baboseiras estatísticas sem sentido e manipuladas, como essa.

26 de janeiro de 2009

Pérolas do ENEM (Tema: Amazônia). Simplesmente devastador...

Obs: Somente as partes grifadas em amarelo são de pessoas que não fizeram o ENEM...Os grifos em azul (Deus me livre!!) referem-se a notáveis textos dos examinados no ENEM.

01 - o problema da amazônia tem uma percussão mundial. Várias Ongs já se estalaram na floresta. (e levaram o disco da Xuxa onde ela canta "Brincar de Índio")

02 - A amazônia é explorada de forma piedosa. (…)

03 - Vamos nos unir juntos de mãos dadas para salvar o planeta. (o mundo tem mais um Capitão Planeta?)

04 - A floresta tá ali paradinha no lugar dela e vem o homem e créu. (velocidade 5 do créu!)

05 - Tem que destruir os destruidores por que o destruimento salva a floresta. (pra deixar bem claro o tamanho da destruição)

06 - O grande excesso de desmatamento exagerado é a causa da devastação. (pleonasmo é lei!)

07 - Espero que o desmatamento seja instinto. (…)

08 - A floresta está cheia de animais já extintos. Tem que parar de desmatar para que os animais que estão extintos possam se reproduzirem e aumentarem seu número respirando um ar mais limpo. (os animais extintos também merecem uma cerveja para comemorar quando o ar estiver limpo)

09 - A emoção de poluentes atmosféricos aquece a floresta. (nooooffa!!!)

10 - Tem empresas que contribui para a realização de árvores renováveis. (todo mundo na vida tem que ter um filho, escrever um livro, e realizar uma árvore renovável)

11 - Animais ficam sem comida e sem dormida por causa das queimadas. (esqueceu que também ficam sem o home theater e os dvd’s da coleção do Chaves)

12 - Precisamos de oxigênio para nossa vida eterna. (amém)

13 - Os desmatadores cortam árvores naturais da natureza. (e as renováveis?)

14 - A principal vítima do desmatamento é a vida ecológica. (deve ser culpa da morte ecológica)

15 - A amazônia tem valor ambiental ilastimável. (ignorem, por favor)

16 - Explorar sem atingir árvores sedentárias. (peguem só as que estiverem fazendo caminhadas e flexões)

17 - Os estrangeiros já demonstraram diversas fezes enteresse pela amazônia. (ÃHN?)

18 - Paremos e reflitemos. (beleza)

19 - A floresta amazônica não pode ser destruída por pessoas não autorizadas. (onde está o Guarda Belo nessas horas?)

20 - Retirada claudestina de árvores. (caraulio!)

21 - Temos que criar leis legais contra isso. (bacana)

22 - A camada de ozonel. (Chris O'Zonnell?)

23 - a amazônia está sendo devastada por pessoas que não tem senso de humor. (a solução é colocar a o pessoal da Zorra Total pra cortar árvores)

24 - A cada hora, muitas árvores são derrubadas por mãos poluídas, sem coração. (…)

25 - A amazônia está sofrendo um grande, enorme e profundíssimo desmatamento devastador, intenso e imperdoável. (campeão da categoria “o mais enchedor de lingüiça)

26 - Vamos gritar não à devastação e sim à reflorestação. (NÃO!)

27 - Uma vez que se paga uma punição xis, se ganha depois vários xises. (gênio da matemática)

28 - A natureza está cobrando uma atitude mais energética dos governantes. (red bull neles - dizem as árvores)

29 - O povo amazônico está sendo usado como bote expiatório. (ótima)

30 - O aumento da temperatura na terra está cada vez mais aumentando. (subindo!)

31 - Na floresta amazônica tem muitos animais: passarinhos, leões, ursos, etc. (…)

32 - Convivemos com a merchendagem e a politicagem. (que burragem)

33 - Na cama dos deputados foram votadas muitas leis. (imaginem as que foram votadas no banheiro deles!)

34 - Os dismatamentos é a fonte de inlegalidade e distruição da froresta amazonia. (oh god!)

35 - O que vamos deixar para nossos antecedentes? (dicionários)

36 - A fiscalisação tem que ser preservativa. (lerê-lerê)

37 - Não podem explorar a Amazônia de maneira tão devassaladora. (neologismo pra devastadora + avassaladora)

Dez Coisas que Levei Anos Para Aprender (Luiz Fernando Veríssimo)

1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa.

2. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas.

3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance.

4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca.

5. Não confunda nunca sua carreira com sua vida.

6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite.

7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria "reuniões".

8. Há uma linha muito tênue entre "hobby" e "doença mental".

9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito.

10. Nunca tenha medo de tentar algo novo. Lembre-se de que um amador solitário construiu a Arca. Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic.

25 de janeiro de 2009

O Amor, Quando Se Revela (Fernando Pessoa)

O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.
Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há-de dizer.
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer...
Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pra saber que a estão a amar!
Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!
Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar...

Ausência (Vinícius de Moraes)

Eu deixarei que morra em mim o desejo
de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa
de me veres eternamente exausto
No entanto a tua presença é qualquer coisa
como a luz e a vida

E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto
e em minha voz a tua voz
Não te quero ter porque
em meu ser está tudo terminado.
Quero só que surjas em mim
como a fé nos desesperados

Para que eu possa levar uma gota de orvalho
nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne
como uma nódoa do passado.
Eu deixarei ... tu irás e encostarás
a tua face em outra face

Teus dedos enlaçarão outros dedos
e tu desabrocharás para a madrugada
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu,
porque eu fui o grande íntimo da noite
Porque eu encostei a minha face
na face da noite e ouvi a tua fala amorosa

Porque meus dedos enlaçaram os dedos
da névoa suspensos no espaço
E eu trouxe até mim a misteriosa essência
do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só
como os veleiros nos portos silenciosos

Mas eu te possuirei mais que ninguém
porque poderei partir
E todas as lamentações do mar,
do vento, do céu, das aves, das estrelas
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente,
a tua voz serenizada.

24 de janeiro de 2009

Código Secreto do Imperador romano Augusto

Em primeiro lugar, gostaria de inaugurar esta seção, dizendo que já me utilizei muito da in-utilidade neste post descrita. No livro Eu, Cladius, Imperador, de Robert Graves, o autor menciona brevemente, um código utilizado por César Augusto, imperador de Roma, o primeiros dos 12 Césares, e sua mulher Lívia Bruaca Augusta, em correspondências sigilosas acerca de ngócios escusos com o dinheiro público e negociatas com magnatas da época, incluindo senadores. Be, desnecessário dizer porque a civilização ocidental é tida como herdeira cultural de Roma, mais flagrantemente a "civilização brasileira.

Esse é um código virtualmente indecifrável por pessoas que não possuam sua chave. Eu sempre utilizei para anotações confidenciais, na maior parte das vezes, quando queria falar mal de minhas namoradas, das namoradas dos outros e desses outros.

Imagine que você quer codificar um texto. A esse, chamo máquina ou fechadura. E você precisa de um padrão ou mecanismo pra codificar e depois decodificar (a ser usado por uma só pessoa ou mais de uma, ou mesmo um grupo). A isso, denomino alavanca ou chave.

Agora tenha em mente o alfabeto, e suas letras representadas por valores numéricos sequenciais, tais como A=1, B=2, C=3, etc.
Depois de ter a máquina em mãos, você deve criar uma chave personalizada para destravá-la. Deve ser conhecida apenas, obviamente para os fins propostos, pelas pessoas autorizadas. A chave deve ser uma frase que possa ser de conhecimento do grupo e fácil a ele de reconhecer. Uma frase ou uma sequência numérica.

Vamos escrever então a tabela das letras-número:


A=1 B=2 C=3 D=4 E=5 F=6 G=7 H=8 I=9 J=10 K=11 L=12 M=13 N=14 O=15 P=16 Q=17 R=18 S=19 T=20 U=21 W=22 X=23 Y=24 Z=25 Outros casos -->> Ã=27 Ç=28 Õ=29.

---Exemplo Prático---

Máquina:
-->> DEUS ME AJUDOU E EU GANHEI DINHEIRO. (Herói da canastrice legislativa brasileira, João Alves)
Alavanca:
-->>DEUS É BRASILEIRO.

D
epois, coloca-se a máquina encima e a alavanca embaixo, letra embaixo de letra, eliminando-se os espaços. Quando a alavanca acaba, repete-se ela até a última letra da máquina.

D E U S M E A J U D O U E E U G A N H E I D I N H E I R O
.
D E U S E B R A S I L E I R O D E U S E B R A S I L E I R


Atribui-se os valores numérico a cada letrana parte de cima e na parte de baixo. Valor sobre valor, diminui-se (valores em azul são os resultados das subtrações, ou seja o próprio código completo):

/4. 5. 21. 19. 13. 5. 1. 10. 21. 4. 15. 21. 5. 5. 21. 7. 1. 14. 7. 5. 9. 4. 9. 14. 8. 5.
9. 18. 15./
/ 4. 5. 21. 19. 5. 2. 18. 1. 19. 9. 12. 5. 9. 18. 15. 4. 5. 21. 19. 5. 2. 18. 1. 19. 9.12.
5. 9. 18./


/0. 0. 0. 0. 8. 3. -17. 9. 2. -5. 3. 16. -4. -13. 6. 3. -4. -7. -12. 0. 7. -14. 8. -5. -1. -7.4. 9. -3./


As frases tem separação entre palavras por meio de barras. Pontos finais, de exclamação, interrogaçetc., são postos fora, entre as barras. Toda frase começa com duas barras e termina também com duas barras.


-->>Decodificando:

É só aplicar o processo inverso, colocando-se o código completo encima, e somando aos valores da chave, número sobre número. Aos resultados, deduz-se as letras do texto original.

Eu digo que esse padrão de código o torna indecifrável porque, embora se conheça o padrão em si de funcionamento, a chave em si é totalmente aleatória. Se a pessoa que está codificando for suficientemente cuidadosa para não formular uma chave que se relacione com ela diretamente e sim, é claro, uma que seja impessoal, o código se torna o mais fechado e perfeito que conheço, desde que a chave não seja descoberta. A cada letra "a" pode-se atribuir e resultar em um valor numérico codificado diferente, um número 1 ou 15, etc, pois que o "a" vai ter um valor diretamente ligado à letra-número que lhe é correspondente, na sequência de codificação pela chave. No exemplo acima, a primeira letra "e" foi codificada como "0" (zero), enquanto a segunda, na sequência, ficou "3"... E assim por diante... O que determina o código, na codificação e na decodificação é a chave.



Pena que foi ele que ficou viúvo! Deveria ser o contrário...

Um britânico matou a própria mulher depois que ela trocou seu status no site de relacionamentos Facebook de "casada" para "solteira".

Edward Richardson, de 41 anos, foi condenado pela morte de Sarah Richardson, ocorrida em 12 de maio de 2008. De acordo com a BBC, Richardson esfaqueou a mulher, de 26 anos, na casa dos sogros, em Brown Lees, Staffordshire. Depois do ataque, ele tentou se matar. Considerado culpado, Richardson foi condenado a prisão perpétua, sem direito a revisão da pena antes de 17 anos de prisão. "Richardson ficou com raiva ao ver que Sarah mudou seu estado civil para 'solteira' no Facebook, e decidiu ir vê-la, já que ela não estava respondendo suas mensagens", afirmou a promotora Fiona Cortese. "Ele quebrou a janela da frente e invadiu a casa. Depois, encontrou a mulher no quarto e a atacou com uma faca".

*******

Bem, pela cara dele já dá de perceber que ele deve ter merecido... Mas, sinto mesmo é de não ter dado tempo de ela evoluir e mudar novamente seu status para "viúva". Se houvesse a opção, é claro!!

22 de janeiro de 2009

Idoso português (com certeza, doido!!) decepa o dedo na frente de juíza

Foto: Editoria de Arte/G1

Português de 67 anos cortou o dedo após ficar insatisfeito com uma decisão da Justiça do país.

O português Orico Santos, de 67 anos, entrou no gabinete da juíza Cristina Oliveira, no Tribunal Judicial da Figueira da Foz (Portugal), e cortou o dedo indicador da mão esquerda na frente da magistrada após ficar insatisfeito com uma decisão, segundo o jornal português "Diário de Notícias".

Após ficar irritado com a decisão da juíza Cristina Oliveira, o idoso, que mora em Buarcos, "tirou da pasta uma faca de 17 centímetros" e desferiu "dois golpes no dedo indicador da mão esquerda", deixando na mesa pequenas partes de seu dedo.

Santos tinha ido ao tribunal para "protestar contra a execução judicial de um terreno". Mas, "insatisfeito" com a posição da juíza, ele resolveu se automutilar no gabinete da magistrada. O homem foi levado ao Hospital Distrital da Figueira da Foz.

*******

Bem, se tivesse sido cortado o dedo mindinho, e ele fosse brasileiro, diria que estaria tentando ensaiar um golpe de Estado, pretendendo tomar a presidência... vai que ele se elege por ser mais idoso e ter cortado mais de seu dedo... pelo menos ninguém diria que ele não teria como extrair cera do ouvido e "limpar o salão"...

Médica "resgata" pedra de mais 1 kg do rim de paciente na Hungria

Foto: MTI,Tibor Olah/AP

Urologista Judit Csorba, do hospital Kenez Gyula, em Debrecen (Hungria), mostra uma pedra de 1,125 quilo e 17 centímetros de diâmetro, que foi removida do rim do paciente Sandor Sarkadi, que está ao lado de sua mulher. (Foto: MTI,Tibor Olah/AP)

*******

Putzzzzzzz!! Onde vamos chegar?? Tem certeza que craque não se come ainda, só se fuma?? Se isso tudo forem resíduos, então o cara emborcava um saleiro e um pote de tempero completo por dia... Pra mim isso aí deve ser pedra... mas de outro tipo...

21 de janeiro de 2009

Mamonas Assasinas - Homenagem II (Dedicado ao meu Luso-amigo Rui Carrelhas)

Mais uma homenagem aos nossos eternos Mamonas Assassinas.

Com autorização expressa e documentada de nosso irmão lusitano Roberto Leal, segue "Vira, vira".

Mamonas Assassinas - Homenagem

Olha...os caras podem ser criticados pelo que for, mas a naturalidade com que eles cantavam a linguagem dita chula e inferior por aqueles que vivem em letras de concreto sem vida, fizeram esse país tremer durante 7 meses. Eu mesmo fui a um show deles aqui em minha cidade. Os caras eram super simples, modestos. No camarim deles havia água mineral, suco e frutas, basicamente. Não atrasaram. Foram pontuais e demonstraram assim seu apreço pelo público, que consistia em desde crianças de 4 e 5 anos (acompanhadas por adulros) a senhores e senhoras já quarentões e cinquentões. Sou fã deles até hoje, porque assim como o Airton Senna, acho sim que eles tinham a missão de trazer alegria ao nosso povo sifrido. Foram amigos até o fim, amigos até o último minuto. Foram-se todos juntos, rápidamente e sem sofrimento.

Aqui um vídeo do YouTube da música Bois Don't Cry (ou como é conhecida, a "Melô do Corno"):

Aprendiz de 007...Por que ele não fez curso em Brasília??

A Polícia Federal (PF) prendeu, em flagrante, um vendedor boliviano, de 48 anos, com uma caneta-revólver no setor de embarque do Aeroporto Internacional de Campo Grande, na madrugada desta terça-feira (20).

Segundo informações da PF, ele residia em Santa Cruz de La Sierra e seguiria viagem de volta para a Bolívia.


*******

Era bagre, o coitado!! Falta mais o que nesse país?? Poxa, as canetas de alguns políticos são bem mais eficientes e letais para o Brasil...



Panela Velha É Que Faz Comida Boa... Será??

Wang Guiying nunca quis se casar porque a vida no matrimônio lhe parecia "infeliz", mas, após 107 anos, mudou de opinião e procura namorado para não ser uma carga para a família, publicou hoje o site chinês "Sohu".

Wang, que deixou crescer o cabelo negro e comprido em um gesto de paquera, vive em Chongqing, no sudoeste da China, embora tenha nascido na província vizinha de Guizhou, em uma família muito pobre.

Um de seus sobrinhos convocou a imprensa local para tornar pública a disposição de sua tia de se casar e pedir ajuda para encontrar um marido "para conversar", segundo o jornal local "Chongging Commercial Times".

"Já tenho 107 anos e ainda não me casei. O que acontecerá se eu não me apressar para buscar namorado?", se pergunta a idosa."

*******

Mas, ô bisa!! Tem que ter grana... Logo logo o governo chinês não vai mais pagar seus remédios!!Ah!! É bom mesmo arranjar um coroa boa-pinta, porque "ficar pra titia"...ah não dá mais tempo não!!

Versos Íntimos (Augusto dos Anjos)

Eu sempre fico emocionado quando leio esse clássico. Me inspira não um desespero, mas um sentimento de fatalismo valente, daqueles que só os fortes exprimem quando estão se despedindo da vida. Eu, se estiver consciente logo antes de minha passagem deste lado para o outro lado da Vida, quero declamar esses versos intimamente perpétuos:


Versos Íntimos


Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão - esta pantera -
Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!


Gêmeos

Amor e Ódio são irmãos gêmeos
Que caminham lado a lado:
Amor é o Ódio regenerado;
Ódio, o Amor sepultado.

Quem ama ou odeia
Corre o risco de ficar louco:
O Amor enlouquece por se querer,
E sem querer, o Ódio, pouco a pouco.

Amor e Ódio são as duas metades do louco:
Amor, o não-ser, a inconsciência pura;
O ódio, a grande e caótica loucura.

Entre os dois, uma aparente distância abissal.
Um é o duplo do outro; juntos, o Paraíso e o Umbral,
As duas muletas nas quais oscila toda criatura.

20 de janeiro de 2009

Alma Estelar

Prefiro ser essa estrela solitária
Rompendo o Infinito das noites
Do Tempo e de minha alma.
Estrela solitária...
Rebelde, livre, solidária;
Sem ser prenhe do bem ou semeadora do mal,
Sou variável, imprevisível, marginal.

Simples Combinação

Quando ouvi tua voz
Pela primeira vez,
Era como se a nós
Fosse o suspiro
Do último mês,
Da brisa da primavera.

E à sua voz, o seu rosto
Se juntou em sinfonia,
E eu mais não resistiria
Ao canto de sereia, posto
Em minha mente. Então admiro
"MiLady", que ali me espera!!

Quanto me faz alto clamar
Esse ardor doce do teu altar!!
Quanto teu odor lúbrico traz
A mim do gosto do "querer-mais",
Que em teu semblante inspiro
A semente da paixão que em mim se gera!!

Soneto dos Ventos de Verão

Água do céu de minha vida inquietante,
Beijou o meu mar com desejo de juntar
Inteiras metades de um bruto diamante,
Saciando nossa vontade da paixão realizar.

Amarra de meu porto forte, em ti provei
Gosto do mel divino de mulher, bebi
Ultimamente de teu corpo ardente, gozei
Enlaçado pela magia de teu olhar, em ti revivi.

E correram suas mãos em mim como um furacão;
Jubilou-se a natureza impetuosa que quer e mais quer
Unir o céu e a terra, atar a Razão ao Coração.

Lamento apenas não saber do vento fazer canção;
Imerso em chuva ou temporal, mas da brisa que vier,
O prazer desse Anjo de Pecado caia no colo dessa Mulher.

Lembra-te, Anjo!!

Ela apareceu
No final da madrugada;
De vermelho trajada
Com sua boca te enterneceu...
- Acorda-te, Anjo!!

Te contou
O que você procurava saber.
Te encontrou
Pra voltares a viver...
- Rejubila-te, Anjo!!

Te falou do Senhor,
Teu Deus, e quis por
Em ti a semente do Caminho:
"Comigo não estarás mais sozinho".
- Põe-te a caminho, Anjo!!

Apresentou-te a fechadura
da sua alma, e em ti, a senha!!
"Me faz Mulher, mas com ternura!
Rápido, antes que o dia venha!!"
- Preenche-a, Anjo!!

Apesar das divergências
De natureza, de origem,
Uma ao outro causou vertigem:
À feminina beleza, às saliências.
- Admira-te, Anjo!!

No êxtase do prazer carnal,
Entre o humano e o celestial,
Sofre, você, ó, que és vindo do céu,
A falta e a distancia da doadora de mel.
- Chora, Anjo!!

Numa tarde chuvosa,
MiLady nao bebe nem come
Enquanto nao vê a face charmosa,
Sua agora, tão de si como seu nome.
- Apressa-te, Anjo!!

Em teu pescoço salta,
Como grilo ou como pipoca.
"Quanto senti a tua falta,
Meu corpo só vive se em ti toca".
- Beije-a, Anjo!!

Num cenário sonhado a dois,
Com platéia só de palmeiras,
Se amam sim, só respiram depois
Que as últimas sílabas sejam primeiras.
- Ame-a, Anjo!!

Das palavras, as mais doces;
E humano desejou que fosses.
Em seus seios descansas, sereno,
E então sussurra em seu ouvido pequeno:
"- Durma bem, meu Anjo!!"

Menino relata como é a "Casa da Morte" na Faixa de Gaza

Por Nidal al-Mughrabi

GAZA (Reuters) - "Abu Salah morreu, a mulher dele morreu. Abu Tawfiq morreu, o filho dele morreu, a mulher dele também morreu. Mohammed Ibrahim morreu, e a mãe dele morreu. Ishaq morreu e Nasar morreu. A mulher de Nael Samouni morreu. Muitas pessoas morreram."

"Acho que mais de 25 pessoas morreram", disse Ahmed Ibrahim Samouni, menino palestino de 13 anos que sofreu ferimentos na perna e no peito, mas sobreviveu aos morteiros israelenses disparados contra uma casa no norte da Faixa de Gaza em 5 de janeiro.

Segundo um relatório do Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários das Nações Unidas (Ocha, na sigla em inglês), pelo menos 30 pessoas foram mortas no incidente. A maioria delas era da família de Samouni.

A vice-chefe do Ocha, Allegra Pacheco, citou testemunhas oculares no distrito de Zeitun, que teriam dito que tropas israelenses ordenaram a cerca de 100 civis que entrassem na casa e ficassem ali, fora do caminho. Mas no dia seguinte a casa foi atingida por morteiros israelenses.

"Não há abrigos antibomba na Faixa de Gaza", disse Pacheco.

Um porta-voz do Exército israelense negou na sexta-feira a acusação.

"As forças de defesa de Israel (IDF) não reuniram pessoas em qualquer construção", disse Jacob Dallal à Reuters. "Além disso, nós checamos com atenção os disparos do IDF no dia 5. O IDF não atingiu qualquer construção em ou perto de Zeitun no dia 5."

Em declarações feitas à Reuters desde seu leito de hospital na Faixa de Gaza, o menino relatou como sua família foi levada à casa que mais tarde foi alvejada.

"Estávamos dormindo quando os tanques e os aviões atacaram. Dormíamos todos num quarto só", contou Samouni, em voz fraca. "Um morteiro atingiu nossa casa. Graças a Deus, não fomos atingidos", acrescentou.

"Corremos para fora e vimos 15 homens. Eles desceram de helicópteros sobre os telhados das casas." Os soldados espancaram moradores e os forçaram a entrarem todos em uma casa.

Depois de a casa ser atingida, no dia seguinte, e de sua mãe ser uma das pessoas mortas, Samouni manteve vivos seus três irmãos menores e tentou ajudar adultos feridos estirados entre os mortos.

"Não havia água, não havia pão, não havia nada para comer", disse.

Funcionários locais do Crescente Vermelho e uma equipe do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) conseguiram chegar até a casa em 7 de janeiro, depois de ter seu acesso a ela negado pelos militares israelenses pelo que a Cruz Vermelha considerou "um período de tempo inaceitável".

O comitê disse que, quando a ajuda finalmente chegou ao local, as crianças estavam famintas.

Barreiras de terra erguidas por máquinas de terraplanagem israelenses bloqueavam as ruas, impedindo o acesso de ambulâncias. "Os feridos tiveram que ser retirados em carroças puxadas por burros", disse Pacheco à Reuters.

"É um incidente chocante", afirmou Pierre Wettach, chefe do CICV em Israel e nos territórios palestinos ocupados.

A CICV acusou Israel de atrasar o acesso de ambulâncias à área e exigiu que garanta acesso seguro a ambulâncias do Crescente Vermelho palestino, para que possam retornar e retirar mais feridos.

Em resposta escrita, o Exército israelense disse que trabalha em coordenação com organismos internacionais de assistência "para que ajuda possa ser fornecida a civis" e que "de maneira alguma alveja civis intencionalmente".

Nascer no Cairo, ser fêmea de cupim (Rubem Braga)

<<--Rubem Braga

Conhece o vocábulo escardinchar? Qual o feminino de cupim? Qual o antônimo de póstumo? Como se chama o natural do Cairo?

O leitor que responder "não sei" a todas estas perguntas não passará provavelmente em nenhuma prova de Português de nenhum concurso oficial. Alias, se isso pode servir de algum consolo à sua ignorância, receberá um abraço de felicitações deste modesto cronista, seu semelhante e seu irmão.

Porque a verdade é que eu também não sei. Você dirá, meu caro professor de Português, que eu não deveria confessar isso; que é uma vergonha para mim, que vivo de escrever, não conhecer o meu instrumento de trabalho, que é a língua.

Concordo. Confesso que escrevo de palpite, como outras pessoas tocam piano de ouvido. De vez em quando um leitor culto se irrita comigo e me manda um recorte de crônica anotado, apontando erros de Português. Um deles chegou a me passar um telegrama, felicitando-me porque não encontrara, na minha crônica daquele dia, um só erro de Português; acrescentava que eu produzira uma "página de bom vernáculo, exemplar". Tive vontade de responder: "Mera coincidência" — mas não o fiz para não entristecer o homem.

Espero que uma velhice tranqüila - no hospital ou na cadeia, com seus longos ócios — me permita um dia estudar com toda calma a nossa língua, e me penitenciar dos abusos que tenho praticado contra a sua pulcritude. (Sabem qual o superlativo de pulcro? Isto eu sei por acaso: pulquérrimo! Mas não é desanimador saber uma coisa dessas? Que me aconteceria se eu dissesse a uma bela dama: a senhora é pulquérrima? Eu poderia me queixar se o seu marido me descesse a mão?).

Alguém já me escreveu também — que eu sou um escoteiro ao contrário. "Cada dia você parece que tem de praticar a sua má ação — contra a língua". Mas acho que isso é exagero.

Como também é exagero saber o que quer dizer escardinchar. Já estou mais perto dos cinqüenta que dos quarenta; vivo de meu trabalho quase sempre honrado, gozo de boa saúde e estou até gordo demais, pensando em meter um regime no organismo — e nunca soube o que fosse escardinchar. Espero que nunca, na minha vida, tenha escardinchado ninguém; se o fiz, mereço desculpas, pois nunca tive essa intenção.

Vários problemas e algumas mulheres já me tiraram o sono, mas não o feminino de cupim. Morrerei sem saber isso. E o pior é que não quero saber; nego-me terminantemente a saber, e, se o senhor é um desses cavalheiros que sabem qual é o feminino de cupim, tenha a bondade de não me cumprimentar.

Por que exigir essas coisas dos candidatos aos nossos cargos públicos? Por que fazer do estudo da língua portuguesa unia série de alçapões e adivinhas, como essas histórias que uma pessoa conta para "pegar" as outras? O habitante do Cairo pode ser cairense, cairei, caireta, cairota ou cairiri — e a única utilidade de saber qual a palavra certa será para decifrar um problema de palavras cruzadas. Vocês não acham que nossos funcionários públicos já gastam uma parte excessiva do expediente matando palavras cruzadas da "Última Hora" ou lendo o horóscopo e as histórias em quadrinhos de "O Globo?".

No fundo o que esse tipo de gramático deseja é tornar a língua portuguesa odiosa; não alguma coisa através da qual as pessoas se entendam, ruas um instrumento de suplício e de opressão que ele, gramático, aplica sobre nós, os ignaros.

Mas a mim é que não me escardincham assim, sem mais nem menos: não sou fêmea de cupim nem antônimo do póstumo nenhum; e sou cachoeirense, de Cachoeiro, honradamente — de Cachoeiro de Itapemirim!

Rio, novembro, 1951


Texto extraído do livro "Ai de Ti, Copacabana", Editora do Autor - Rio de Janeiro, 1960, pág. 197.

18 de janeiro de 2009

Declaração de Males (Paulo Mendes Campos)

Ilmo. Sr. Diretor do Imposto de Renda.

Antes de tudo devo declarar que já estou, parceladamente, à venda.
Não sou rico nem pobre, como o Brasil, que também precisa de boa parte do meu dinheirinho.
Pago imposto de renda na fonte e no pelourinho.
Marchei em colégio interno durante seis anos mas nunca cheguei ao fim de nada, a não ser dos meus enganos.
Fui caixeiro. Fui redator. Fui bibliotecário.
Fui roteirista e vilão de cinema. Fui pegador de operário.
Já estive, sem diagnóstico, bem doente.
Fui acabando confuso e autocomplacente.
Deixei o futebol por causa do joelho.
Viver foi virando dever e entrei aos poucos no vermelho.
No Rio, que eu amava, o saldo devedor já há algum tempo que supera o saldo do meu amor.
Não posso beber tanto quanto mereço, pela fadiga do fígado e a contusão do preço.
Sou órfão de mãe excelente.
Outras doces amigas morreram de repente.
Não sei cantar. Não sei dançar.
A morte há de me dar o que fazer até chegar.
Uma vez quis viver em Paris até o fim, mas não sei grego nem latim.
Acho que devia ter estudado anatomia patológica ou pelo menos anatomia filológica.
Escrevo aos trancos e sem querer e há contudo orgulhos humilhantes no meu ser.
Será do avesso dos meus traços que faço o meu retrato?
Sou um insensato a buscar o concreto no abstrato.
Minha cosmovisão é míope, baça, impura, mas nada odiei, a não ser a injustiça e a impostura.
Não bebi os vinhos crespos que desejara, não me deitei sobre os sossegos verdes que acalentara.
Sou um narciso malcontente da minha imagem e jamais deixei de saber que vou de torna-viagem.
Não acredito nos relógios... the pule cast of throught... sou o que não sou (all that I am I am not).
Podia ter sido talvez um bom corredor de distância: correr até morrer era a euforia da minha infância.
O medo do inferno torceu as raízes gregas do meu psiquismo e só vi que as mãos prolongam a cabeça quando me perdera no egotismo.
Não creio contudo em myself.
Nem creio mais que possa revelar-me em other self.
Não soube buscar (em que céu?) o peso leve dos anjos e da divina medida.
Sou o próprio síndico de minha massa falida.
Não amei com suficiência o espaço e a cor.
Comi muita terra antes de abrir-me à flor.
Gosto dos peixes da Noruega, do caviar russo, das uvas de outra terra; meus amores pela minha são legião, mas vivem em guerra.
Fatigante é o ofício para quem oscila entre ferir e remir.
A onça montou em mim sem dizer aonde queria ir.
A burocracia e o barulho do mercado me exasperam num instante.
Decerto sou crucificado por ter amado mal meu semelhante.
Algum deus em mim persiste
mas não soube decidir entre a lua que vemos e a lua que existe.
Lobisomem, sou arrogante às sextas-feiras, menos quando é lua cheia.
Persistirá talvez também, ao rumor da tormenta, algum canto da sereia.
Deixei de subir ao que me faz falta, mas não por virtude: meu ouvido é fino e dói à menor mudança de altitude.
Não sei muito dos modernos e tenho receios da caverna de Platão: vivo num mundo de mentiras captadas pela minha televisão.
Jamais compreendi os estatutos da mente.
O mundo não é divertido, afortunadamente.
E mesmo o desengano talvez seja um engano.

De Paulo Mendes Campos in
"O amor acaba", Civilização Brasileira - Rio de Janeiro, 1999, pág. 259, organização de Flávio Pinheiro.

Clube Bilderberg: o "Atellier" da Nova Ordem Mundial

Uma resenha do livro A Verdadeira História do Clube Bilderberg, que relata a formação do estado totalitário mais perfeito já criado.

Durante os últimos 50 anos, um grupo seleto de políticos, empresários, banqueiros e poderosos em geral tem se reunido secretamente para planejar as grandes decisões que movem o mundo e que, depois, simplesmente acontecem. O livro A Verdadeira História do Clube Bilderberg, de autoria do jornalista e especialista em comunicação Daniel Estulin, que há 13 anos investiga as atividades secretas do Clube Bilderberg e que foi ganhador de três prêmios de pesquisa nos EUA e Canadá, aponta quem aciona os controle por detrás da fachada das organizações internacionais conhecidas. O livro foi editado em 28 países em 21 idiomas. Segundo o autor, a 1ª edição na Venezuela, Colômbia e México foi esgotada em menos de 4 horas e causou manifestações em frente às embaixadas dos EUA que, como é óbvio, ninguém viu e nem ouviu na TV ou nos noticiários de imprensa. A seguir, você vai saber o motivo.

O texto abaixo – que uma amiga minha considerou "uma confusão dos diabos" - é uma resenha desse livro. Mas, como disse Sun Tzu, para combater um inimigo é preciso conhecê-lo, pois não se pode lutar contra algo que não se conhece.

***

A verdadeira história do Clube Bilderberg é uma narração da subjugação impiedosa da população por parte de seus governantes. Um Estado Policial Global que ultrapassa o pior pesadelo de Orwell, com um governo invisível, onipresente, que manipula os fios desde a sombra, que controla o governo dos EUA, a União Européia, a Organização Mundial de Saúde, as Nações Unidas, o Banco Mundial, o Fundo Monetário Internacional e outras instituições similares. E, o mais espantoso de tudo, formula os projetos futuros da Nova Ordem Mundial.

Muitos grandes empresários, políticos, incluindo alguns de seus colaboradores, estão lutando para impor limites ao Clube, alguns de fora, outros de dentro, se bem que de forma encoberta. Esse interesse de dominar o mundo não é novidade na história da Humanidade. Outros já tentaram antes.

O lado obscuro do Clube Bilderberg – o pior mal já enfrentado pela humanidade – está entre nós e utiliza os novos e amplos poderes de coação e terror que a ditadura do complexo industrial-militar global – segundo palavras do autor - requer para acabar com a resistência e governar aquela parte do mundo que resiste às suas intenções.

Cada nova medida, por si só, pode parecer uma aberração mas o conjunto de mudanças, que formam parte do processo em curso, constitui um movimento em direção à Escravidão Total. A batalha está se realizando neste preciso instante em que você lê esta matéria e a ditadura global – o Governo Mundial Único – está vencendo.

O objetivo dos que lutam contra essa ditadura global é defender a nossa intimidade pessoal e nossos direitos individuais, a pedra angular da liberdade. E essa batalha envolve o Congresso dos EUA, a União Européia, os tribunais, as redes de comunicação, as câmeras de vigilância, a militarização da polícia, os campos de concentração, as tropas estrangeiras estacionadas em solo de diversos países, os mecanismos de controle de uma sociedade sem dinheiro em espécie, os microchips implantáveis, o rastreamento por satélite GPS, os cartões de identificação por radiofreqüência (RFID), o controle da mente, as contas bancárias, os cartões inteligentes e outros dispositivos de identificação que o Grande Irmão nos impõe e que conectam os detalhes da nossa vida a enormes bancos de dados secretos dos governos.

Os caminhos que forem tomados agora determinarão o futuro da humanidade: se passaremos a fazer parte de um Estado policial eletrônico global ou se continuaremos como seres humanos livres.

O Clube do governo mundial na sombra decide, numa reunião anual secreta, como devem ser realizados seus projetos diabólicos. Quando se celebram essas reuniões, não por acaso seguem-se guerras, a fome, a pobreza, a derrubada de governos e abruptas e surpreendentes mudanças políticas, sociais e monetárias.

Skinner – Burrhus Frederic Skinner -, cientista do comportamento e do aprendizado, colaborador do Instituto Tavistock – organização de pesquisa no campo da psicologia social aplicada – que, por sua vez, é colaboradora do Clube Bilderberg, considera a população em geral incompetente para educar seus filhos e propõe como sociedade ideal aquela em que os filhos são separados das famílias por ocasião do nascimento e educados pelo Estado, que paga aos pais por seus filhos uma determinada quantia, em centros onde passam a viver.

Outra forma de manipulação de conduta utilizada pelo Clube Bilderberg é conseguir que as pessoas obtenham algo que desejam em troca da renúncia de outra coisa, principalmente a liberdade.

Se bem que o Clube Bilderberg, a Comissão Trilateral, a Mesa-Redonda, o Conselho de Relações Internacionais, as Nações Unidas, o Fundo Monetário Internacional, o Clube de Roma e algumas outras organizações realizem seus planejamentos e suas gestões em particular; a imprensa, as rádios e as cadeias de TV se negam a cobrir o tema e não se atrevem a falar dele. Isso mantém a maioria da população num estado contínuo de ansiedade interior porque as pessoas estão demasiado ocupadas garantindo sua própria sobrevivência ou lutando por ela.

A técnica do Clube Bilderberg consiste em submeter a população e levar a sociedade a uma forte situação de insegurança, angústia e terror, de maneira que as pessoas cheguem a sentir-se tão exaltadas que peçam, aos gritos, uma solução, qualquer que seja. Essa técnica tem sido aplicada às gangues de rua, às crises financeiras, às drogas e ao atual sistema educacional e prisional.

Com relação ao sistema educacional é necessário dar a conhecer que os estudos realizados pelo Clube Bilderberg demonstram que conseguiram diminuir o coeficiente intelectual médio da população. Para conseguir isso não só manipulam as escolas e as empresas, mas ta
mbém têm se apoiado na arma mais letal que possuem: a televisão e seus programas de baixo nível, para afastar a população de situações estimulantes e conseguir assim entorpecê-la.

O objetivo final desse pesadelo – ou dessa "confusão dos diabos"… - é um futuro que transformará a Terra num planeta-prisão por meio de um Mercado Globalizado Único – que tornou o mundo plano -, vigiado por um Exército Mundial Único, regulado economicamente por um Banco Mundial e habitado por uma população controlada por microchips cujas necessidades vitais terão sido reduzidas ao materialismo e à sobrevivência: trabalhar, comprar, procriar, dormir, tudo conectado a um computador global que supervisionará cada um de nossos movimentos.

Os membros do Bilderberg "possuem" os bancos centrais e, portanto, estão em condições de determinar os tipos de interesses, a disponibilidade de dinheiro, o preço do ouro e quais os países que devem receber quais empréstimos. Ao movimentar divisas, os membros do Bilderberg ganham milhares de dólares.

Desde 1954, os sócios do Bilderberg representam a elite das nações ocidentais - financistas, industriais, banqueiros, políticos, líderes de corporações multinacionais, presidentes, primeiros-ministros, ministros das Finanças, secretários de Estado, representantes do Banco Mundial, OMC, FMI, executivos dos meios de comunicação e lideranças militares -, um governo nas sombras que se reúne em segredo para debater e conseguir um consenso sobre a estratégia global. Todos os presidentes dos EUA, desde Eisenhower, pertenceram ao Clube. Também Tony Blair, assim como Lionel Jospin, Romano Prodi, ex-presidente da Comissão Européia, Mario Monti, comissário europeu para a Concorrência, Pascal Lamy, comissário do Comércio, José Manuel Durão Barroso, atual presidente da Comissão Européia, Alan Greenspan, chefe do FED (o Banco Central dos EUA), Hillary Clinton, John Kerry, a ministra de Assuntos Internacionais da Suécia, assassinada, Anna Lindh, Melinda e Bill Gates, Henry Kissinger, a dinastia Rothschild, Jean-Claude Trichet, cabeça visível do Banco Central Europeu, James Wolfenson, presidente do Banco Mundial, Javier Solana, ex-Secretário Geral do Conselho da Comunidade Européia, o financista George Soros, um especulador capaz de derrubar moedas nacionais em proveito próprio, e todas as famílias reais da Europa. Juntamente com eles sentam-se os grandes proprietários dos meios de comunicação, pessoas que controlam tudo o que se lê e assiste.

Em 2004, no Grande Hotel des Iles Borromées, em Stresa, Itália, em mais um Encontro, celebrou-se o 50º aniversário do Grupo, que foi constituído entre os dias 29 e 31 de maio de 1954 no hotel Bilderberg (daí o nome de Grupo Bilderberg), na localidade holandesa de Oosterbeckl em um evento organizado pelo príncipe Bernard, da Holanda.

Tanto Donald Rumsfeld, atual Ministro da Defesa dos EUA, como o general Peter Sutherland, da Irlanda, são membros do Bilderberg. Sutherland é ex-comissário europeu e presidente da Goldman, Sachs e Britsh Petroleum. Rumsfeld e Sutherland ganharam um bom dinheiro em 2000 trabalhando juntos no conselho da companhia energética suíça ABB (Asea Brown Bovery Ltda). Sua aliança secreta tornou-se pública quando se descobriu que a ABB havia vendido dois reatores nucleares a um membro ativo do "eixo do mal", a Coréia do Norte!

Por outro lado, é muito difícil resumir como o Clube Biderberg esteve envolvido com a administração de Ronald Reagan, eleito presidente dos EUA em 1980. Todos os cargos importantes do governo foram ocupados por socialistas fabianos, recomendados pelo Heritage Foundation do Bilderberg/Rockefeller (um parêntesis para assinalar que a Heritage Foundation, fundada em 1973, apresenta-se como um instituto educacional de pesquisa que formula e promove políticas públicas e conservadoras baseadas nos princípios de livre-empresa, governo limitado e liberdade individual, o que torna essa afirmativa – pelo menos essa – inverossímil); com o assassinato de Aldo Moro - morto pelo grupo maçon P2, com o objetivo de alinhar a Itália com o Clube de Roma e com Bilderberg; com o assassinato de Ali Bhutto, presidente do Paquistão, em 1979, que queria desenvolver armas nucleares como elemento de dissuasão contra "as contínuas agressões israelenses no Oriente Médio"; com a deposição do Xá do Irã pelo aiatolá Khomeini, uma criação da VI Divisão de Inteligência Militar britânica, popularmente conhecida como MI6 (sobre o qual o Parlamento britânico não tem jurisdição); ou com o caso Watergate. Ao contrário do que sempre afirmou o Washington Post, não houve nenhuma "evidência" de que Nixon tenha abusado de seu poder. Se cometeu algum crime foi o de não defender a Constituição dos EUA, como jurou na cerimônia de posse.

O surgimento de Bill Clinton, "ungido" como candidato à presidência dos EUA na conferência de Bilderberg de 1991, em Baden-Baden, Alemanha, à qual ele esteve presente, também não é muito fácil de esclarecer. O que é completamente desconhecido pela maior parte da população mundial é que Bill Clinton, saindo da conferência, realizou uma inesperada viagem a Moscou, onde em uma terça-feira, 9 de junho de 1991, entrevistou-se durante uma hora com o Ministro do Interior soviético, Vadim Bakatin, ministro do já então condenado governo de Mikhail Gorbachev. Especula-se que Clinton tenha sido enviado a Moscou pelo Clube Bilderberg para conseguir que "enterrassem" os relatórios da KGB sobre a juventude do próprio Clinton e suas atividades contra a guerra do Vietnã, dois meses antes de anunciar a sua candidatura à presidência. Afinal, Vadim Bakatin, no governo de Boris Yeltsin, que sucedeu Gorbachev, foi nomeado para um importante cargo na KGB.

Como esses fatos podem ser verificados? É virtualmente impossível penetrar no Clube Bilderberg. Algumas provas não estão ao alcance porque fazem parte dos arquivos da Inteligência e só uma minoria privilegiada pode vê-las. Não esperem nunca que os meios de comunicação mencionem a conspiração nos telejornais da noite. E, como nada disso que consta no livro de Daniel Estulin aparece nos noticiários, as pessoas imaginam tratar-se de mais uma das muitas teorias de conspiração a serem desprezadas, freqüentemente ridicularizadas e, por fim, rejeitadas. Resumindo: "uma confusão dos diabos".

O objetivo do Clube Bilderberg é a busca de uma era pós-nacionalismo, em que já não haverá países, só regiões e valores universais. Ou seja, só uma economia universal, um governo universal (designado, não eleito) e uma religião
universal. Para assegurar esses objetivos, os membros do Clube defendem um enfoque mais técnico e menos conhecimento por parte do público. Seu objetivo final é o controle de absolutamente tudo no mundo, em todos os sentidos da palavra: a atmosfera, os oceanos, os continentes com todas as suas criaturas. Agem como se fossem Deus na Terra.

Deus pode ter criado o Universo mas, no que diz respeito ao planeta Terra, a mensagem do Clube Bilderberg para Deus é simplesmente a seguinte: "Obrigado. Mas a partir de agora nós mesmos vamos tomar conta".

Recentemente, em 28 de fevereiro de 2006, Daniel Estulin denunciou, na Internet, as dificuldades para que seu livro seja vendido em Portugal e Espanha, inclusive com boicote por parte da editora Planeta, que o editou.

17 de janeiro de 2009

Trechos Selecionados de "A Insustentável Leveza do Ser" (Milán Kundera)

"Não há muito tempo, eu mesmo fui dominado por este fato: parecia-me incrível mas, folheando um livro sobre Hitler, fiquei emocionado diante de algumas de suas fotos; elas me lembravam do tempo de minha infância; eu a vivi durante a Guerra; diversos membros de minha família foram mortos nos campos de concentração nazistas; mas o que era a morte deles diante daquela fotografia que me lembrava de um tempo de minha vida, um tempo que não voltaria mais??
Essa reconciliação com Hitler trai a perversão moral inerente a um mundo fundado essencialmente sobre a inexistência do retorno, pois tudo nesse mundo é perdoado por antecipação e tudo é unicamente perdido."

"Quanto mais pesado o fardo, mais próxima da Terra está nossa vida, e mais ela é real e verdadeira."

"A contradição pesado-leve é a mais misteriosa e mais ambígua de todas as contradições."

Não existe meio de verificar qual é a boa decisão, pois não há termo de comparação. Tudo é vivido pela primeira vez, sem preparação. É como se um ator entrasse em cena sem nunca ter ensaiado. Mas, o que pode valer a vida, se o ensaio da vida já é a própria vida?"

"...Deitar com uma mulher e dormir com ela: eis duas paixões não somente diferentes, mas quase contraditórias. O Amor não se manifesta pelo desejo de fazer amor (esse desejo pode aplicar-se a uma série inumerável de mulheres!!), mas pelo desejo do sono compartilhado (ou seja, diz respeito a uma só mulher...)."

"Não existe nada mais pesado que a compaixão. Mesmo nossa própria dor não é tão pesada como a dor co-sentida , com o outro, pelo outro, no lugar do outro, multiplicada pela imaginação, prolongada em centenas de ecos."

"... o peso, a necessidade e o valor são três noções íntimas profundamente ligadas: só é grave aquilo que é necessário, só tem valor aquilo que pesa."

"Acreditamos todos que é impensável que o amor de nossa vida seja algo leve, imponderável; achamos que nosso amor é o que devia ser, que sem ele nossa vida não seria nossa vida."

"Enquanto as pessoas são ainda mais ou menos jovens, e a partituras de suas vidas ainda está nos primeiros compassos, elas podem juntas fazer a composição e trocar os temas, (...), mas quando se encontram numa idade mais madura, suas partituras musicais estão mais ou menos terminadas, e cada palavra, cada objeto, significa algo de diferente na partitura do outro."

"Tinha mais ou menos doze anos quando, um dia, ela (a mãe) se via só, tendo sido subitamente abandonada pelo pai de Franz. Franz suspeitava que algo de grave havia acontecido, mas sua mãe simulava o drama com palavras neutra e medidas para não traumatizá-lo. Foi nesse dia, que saíam juntos do apartamento para darem um passeio pela cidade, que Franz notou que sua mãe estava com os sapatos descasados. Ficou confuso, quis avisá-la, temendo ao mesmo tempo magoá-la. Ficou com ela durante duas horas pelas ruas sem poder despregar os olhos de seus pés. Foi então que teve uma vaga idéia do que significava sofrer."

"... a Fidelidade é a primeira de todas as virtudes; a fidelidade dá unidade à nossa vida que, sem ela, se despedaçaria em mil impressões fugidias."

"Num passado remoto, o homem deve ter ouvido com assombro o som de batidas que vinham do fundo de seu peito, sem conseguir saber o que era aquilo. Não podia identificar-se com um corpo, essa coisa tão estranha e desconhecida. O corpo era uma gaiola, e dentro dela, dissimulada, estava uma coisa qualquer que olhava, escutava, tinha medo, pensava e espantava-se; essa coisa qualquer, essa sobra que subsistia, deduzido o corpo, era a alma.
Hoje, é claro, o corpo deixou de ser um mistério; sabemos que o que bate no peito é o coração, que o nariz nada mais é do que a extremidade de um cano que avança para levar oxigênio aos pulmões. O rosto nada mais é que o painel onde terminam todos os mecanismos físicos: a digestão, a visão, a respiração, a audição e a reflexão.
Depois que o homem aprendeu a dar nome a todas as partes de seu corpo, este o inquieta menos (...). A dualidade da alma e do corpo estava dissimulada por termos científicos, isso é, hoje, um preconceito fora de moda, que só nos faz rir.
Não basta amar loucamente e ouvir o ruído dos intestinos para que a unidade da alma e do corpo, ilusão lírica da era científica, imediatamente se desfaça."

"A sensualidade é a mobilização máxima dos sentidos: um indivíduo observa seu parceiro intensamente, procurando captar seus mínimos ruídos."

"Essa escuridão não tem fim nem fronteiras; essa escuridão é o infinito que cada um de nós traz dentro de si (sim, se alguém busca o infinito, basta fechar os olhos para encontrá-lo!!)."

16 de janeiro de 2009

Igreja do Diabo (Machado de Assis)

"(...). Uma igreja do Diabo era o meio eficaz de combater as outras religiões, e destruí-las de uma vez.

- Vá, pois, uma igreja, concluiu ele. Escritura contra Escritura, breviário contra breviário. Terei a minha missa, com vinho e pão à farta, as minhas prédicas, bulas, novenas e todo o demais aparelho eclesiástico. O meu credo será o núcleo universal dos espíritos, a minha igreja uma tenda de Abraão. E, depois, enquanto as outras religiões se combatem e se dividem, a minha igreja será única; não acharei diante de mim nem Maomé nem Lutero. Há muitos modos de afirmar, mas apenas um de negar tudo.
(...)

- Sim, sou o Diabo. repetia ele; não o Diabo das noites sulfúreas, dos contos soníferos, terror das crianças, mas o Diabo verdadeiro e único, o próprio gênio da natureza, a que se deu aquele nome para arredá-lo do coração dos homens. Vede-me gentil e airoso. Sou vosso verdadeiro pai. Vamos lá: tomai daquele nome, inventado para meu desdouro, fazei dele um troféu e um lábaro, e eu vos darei tudo, tudo, tudo, tudo, tudo, tudo...

Era assim que falava, a princípio, para excitar o entusiasmo, espertar os indiferentes, congregar, em suma, as multidões ao pé de si. E elas vieram, e logo que vieram o Diabo começou a definir a doutrina. A doutrina era que podia ser na boca de um espírito de negação. Isso quanto à substância, porque, acerca da forma, era umas vezes sutil, outras cínicas e deslavadas.

(...)"

(A Igreja do Diabo, em Histórias sem Data - Machado de Assis)

Brilho e Calor

Do céu veio um brilho, já de morte,
E um calor que não era de útero materno.
Era como um cogumelo, de sorte
Que se tornaria em segundos em dantesco inferno.

A sede de poder trouxe a fornalha do demônio;
A guerra decretara o hediondo cozimento
Dos que, com seus restos, deram o incremento
À tão valiosa carga de urâmio e plutônio.

A vida no fim, de setenta mil em trinta segundos.
O fim no começo desses poços sem fundos
Do ódio, com flores atômicas para lembrar.

Aqueles cogumelos provinham de mundos
Bizarros, de afetos invertidos. Horrível de pensar
Que sejam os corações tão rasos para túmulos tão profundos!!

(06-08-2005, in memoriam pelos 60 anos desde a explosão de bomba atômica sobre Hiroshima, Japão).

Musa Consolatrix ( Machado de Assis)

Que a mão do tempo e o hálito dos homens
Murchem a flor das ilusões da vida,
Musa consoladora,
É no teu seio amigo e sossegado
Que o poeta respira o suave sono.

Não há, não há contigo,
Nem dor aguda, nem sombrios ermos;
Da tua voz os namorados cantos
Enchem, povoam tudo
Da íntima paz de vida e de conforto.

Ante esta voz que as dores adormece,
E muda o agudo espinho em flor cheirosa,
Que vales tu, desilusão dos homens?
Tu que podes, ó tempo?
A alma triste do poeta sobrenada
À enchente das angústias,
E, afrontando o rugido da tormenta,
Passa cantando, alcíone divina.

Musa consoladora,
Quando da minha fronte da mancebo
A última ilusão cair, bem como
Folha amarela e seca
Que ao chão atira a viração do outono,
Ah! no teu seio amigo
Acolhe-me, — e haverá minha alma aflita,
Em vez de algumas ilusões que teve,
A paz, o último bem, último e puro!

(Crisálidas, 1864.)

Um ano mais novo

17-10-2003 12:30 p.m.

Ontem um fato me chamou a atenção. Não sei bem o que senti na hora. Talvez perplexidade, diante das misérias dessa nossa humanidade. Ao retornar de um passeio noturno, passei num bar perto de minha casa pra comprar cigarro. e me dei conta de uma discussão dessas totalmente inúteis pra mim, mas cujo motivo deveria estar provocando uma qualqier agonia no personagem principal. Uns 4 ou 5 outros coadjuvantes participavam da cena: im senhor mulato que frequenta notmalmente o tal boteco, o irmão mais novo do Evandro, o Alexandre (irmão do Vilmar da Padaria) e outros dois convivas. Tentavam convencer o protagonista, que já estava com os olhos pesados devido à bebedeira, que se ele nasceu a 22 de outubro de 1971, ele iria completar então 32 anos de idade. Ele insistia que completaria 33 anos. Insistia com veemência, quase num tom ameaçador que todo bêbado, que se acha seguro de si, costuma ostentar. Todos, inclusive eu (que não o conhecia pessoalmente até então), tentamos em vão, por mei dos mais irrefutáveis argumentos (adição e subtração), tirá-lo daquele eero infantil.

Ele, por sinal, pensava há muito tempo que era mais velho do que realmente era. Desesperou-se. Um ar comportado de decepção o tomava. Discussão banal, que perdurou por mais ou menos uma hora.

Como uma ilusão (ou a quebra dela...) faz doer o coração de um ser humano!! Me causou uma impressão estranha aquelas cenas de revolta, por ele saber que que era simplesmente mais jovem!! Uns diriam: que ótimo para ele!! Visão relativa. Ele certamente, não pernsava exatamente dessa forma. O álcool exaltou aquela mágoa contra si ao constatar sua distração, sua ilusão, que apesar de não ter importância para nós outros, parecia praticamente o desintegrar.

A ilusão é sempre uma ilusão. Os seus efeitos são relativos aos paradigmas, aos pontos-de-vista.