27 de setembro de 2009

Vida Destemida




De que vale a vida em meio à covardia??
De que vale ela sem um pouco de poesia??
Se a mesma Vida é a Grande Mãe-Musa
Dos homens cegos e dos de mente obtusa!!

O que somos nós para ti, ó Primeira Vida,
Nós, as crianças da Luz interna abafada??
O que fazemos por vós, ó Mãe Incriada,
Se não formos corajosos, de vida destemida??

Em meu peito incendeias uma brasa infinita,
E em minha Língua, Palavra de Amor bendita,
Para a renovação do velho coração dormente!!

Ó Vida, se a língua mata o Amor, quando mente,
Se o homem, quando ama, não diz o que sente,
Fecha minha boca, e corta minha língua maldita!!



- Sob inspiração das palavras de Gemária Sampaio, amiga querida, comentando o
post
O
Barroco é Pop?? (por Clóvis Bulcão)
-