4 de dezembro de 2010

Tempo-Rei, Tempo-Rei...

Dias furiosos esses em que vivemos, não são? Dias de emoções transbordantes, à Flor da Pele. Dias em que podemos nos sentir ociosos, trabalhando muito, e cansados de fazer nada! Presenciamos uma aceleração de tudo: da tecnologia, dos cânceres, da solidariedade, conhecimento, bem como da ignorância, cegueiras e brutalidades. Tempos confusos, em que nossos corações ora disparam pela ação do café e cigarro, ora pelas paixões proféticas. Não estamos preparados para tudo isso...

A humanidade está na adolescência, e meu coração sente esse fato com toda a intensidade. Como esperar por lições que ainda não estamos preparados pra aprender?? Se Deus é o Tempo, e nosso Pai, então ele pôs suas crianças surdas-mudas a ter aulas de língua russa aos dois anos de idade.

Suas Crianças (nós, pobres coitados) esperneiam, querendo respostas prontas, exatas, no tempo que nos apraz. Não respeitamos o aviso: "É proibido questionar!". Sim, a Vida nos esquadrinha e nos coloca tais quais em Caminhos retos, aparentemente perfeitos. Para quê, então, o livre-arbítrio??

Li, certa vez, num livro de Eliphas Levi, que "a Liberdade é a Guardiã do Dever, para assim reivindicar seu Direito". Ou seja, para o autor ser livre significa seguir espontaneamente o Caminho Retificado, o certo, aquilo que nos redimiria e nos harmonizaria com a Vida e as pessoas.

Mas como explicar isso a pessoas "imaturas", adolescentes ainda, em evolução incipiente, inseridas num mundo que corre e nos permite cada vez menos contemplar as coisas e fatos em toda sua extensão? O mundo caminha, a passos céleres, para o instinto, onde as pessoas apenas reagem. O experiente reage quase sempre acertadamente; o imaturo e inepto reflete rapidamente seu impulso e é arrastado pelas correntes.

Quem me dera poder aprender e não reclamar, não querer morrer ao ver mais uma lágrima de desgosto, nascida na impotência sobre as causas e efeitos de minha própria Vida, escorrer do meu rosto de tutelado! Mais um garoto de cabelos grisalhos, a espernear pela tirania dos Tutores do Tempo...


Tempo-Rei, Tempo-Rei: Ensina-me o que ainda não sei!!