Pular para o conteúdo principal

Como areia por entre os dedos ou seria Circo Voador??

De umas semanas para cá, um assunto vem me incomodando, uns pensamentos, mas não sabia se seria bom postar. Algumas vezes, as coisas acontecem em nossa vida, de tal maneira, que sentimos absoluta impotência frente a eles, como se fossem areia escorrendo por entre os dedos. Falta total de controle!!

Eu bem poderia, para mascarar a situação que vivo agora, dar como exemplos fatos simples e infantis. E todos fazemos isso: escondemos o sol com a peneira para não nos lembrarmos da tragicomédia que é ter livre-arbítrio e, muitas vezes, estar preso por cinrcunstâncias, no mais das vezes, resultados de escolhas anteriores.


dedos, areia, reflexões, Crônicas


Houve uma vez que essa areia escorreu entre os dedos, e deixei, deliberadamente ela se ir. Eu namorava uma menina da minha cidade, em 2005. Eu saí uma noite para encontrar os amigos num bar e beber uns bons goles de vinho. Eu era fiel (acreditem, a Zorra Total é no sábado!!). Mas pareceu, até que os demoniozinhos da minha Consciência não sabiam disso. Dei com os burros n'água, digo,no vinho. Bebi cinco taças sozinho, absolutamente sozinho. Quando estava pensando em ligar para essa namorada, para a gente ir para outro lugar, de repente, começa a surgir uma turba enlouquecida de "amigas" do passado. E do nada, aquelas "amigas", que mal me conheciam e nem falavam direito comigo, começaram a me tentar. E o álcool velho já subindo aos olhos!! Uma loura enrosca a perna dela na minha, por baixo da mesa e começa a querer... bem, sugestivo, não??

Mas aí, mostrei a aliança de compromisso pra ela. Eu pensei que ela ia gamar mais, mas não!! Ela parece até que murchou, como uma miragem de água fresca que se torna em esgoto. Ela ficou, de linda, em uma bagaço chupado de laranja fora da época. Todo aquele frisson, aquela cena mágica de discoteca, música alta de som ao vivo, todo aquele "encanto", de repente, sumiu. Todas elas ficaram quietas. Começaram a resmungar sobre a saia da guria da mesa ao lado. Não estavam mais me convidando para um festerê na casa da loura em questão.

Isso tudo, da chegada delas (apocalíptica ou apoteóticam, sei lá), até a saída de cadelas com o rabo pisado, se passou em 10 minutos. E foram-se, como um Circo Voador, se é que posso pedir essa expressão emprestada, famosa nos anos 80. Isso tudo, mostrando apenas uma aliança de compromisso!! Sem dizer uma palavra!!

Hoje em dia, ainda,como todo mundo, todos os dias, passo por esses eventos inacreditáveis. Quando queremos que as coisas caminhem certas, elas entravam em algum detalhe grave, em algum obstáculo, em alguém inocente que não merece sofrer. Quando não desejamos, essa coisas aparecem como assombração em sexta-feira XIII, como político em época de eleição, a pedir votos.


All of our lives
Covered up quickly
By the Sands of Time...
("Wasting Love" - Iron Maiden)

Postagens mais visitadas deste blog

Greenpeace e LBV: Mercantilismo no Terceiro Setor

Com quase toda certeza, você já ouviu falar ou leu acerca do Greenpeace e da LBV, certo? Mas, você conhece, a fundo, a forma com a qual eles trabalham fora da mídia?
Com a tal onda de ativismo socio-ecológico e a ilusão de que poderíamos mudar o mundo político através da Internet, instituições como o Greenpeace e a LBV começaram a ganhar ainda mais espaço do que jamais suas imagens na mídia tinham conseguido. Com o advento da ditadura das redes sociais sobre a Consciência das pessoas, recriando modas, mudando a linguagem na comunicação, o que mais se fortaleceu foi o alcance dos instrumentos de marketing global dessas instituições, não a Conscientização dos seres humanos.  
E sabem por quê? Porque as cúpulas dirigentes dessas instituições dependem, em maior grau, do poder que o dinheiro proporciona à sanha do egoísmo, em consonância com os ditames de uma elite globalmente dominante. Sabem, também, que a maioria dos seres humanos não pensa, não raciocina, nem questiona, mas apenas reage …

Chico Anysio e a Velha Puta

Nesse dia, após sua partida deste Mundo, vamos relembrar e celebrar a inteligência e a acidez desse que foi o maior humorista brasileiro, Chico Anysio. Vá em Paz e obrigado pelo legado de sua Obra!



Malandro no Limbo

MALANDRO NO LIMBO
Para Edgar Allan Poe, in memoriam.


Deita-te, Malandro, Até a música acabar, O Tempo parar, O Limbo lamber, E o bardo gemer!
Senta-te, aqui, Malandro!  Tire esse escafandro Que te cobre! Oh, pobre  Malandro! Como o louco danças; Ris, te retrais num meandro, Te laceras entre os matos... Avanças!
Sim, avanças intrépido Por essa estrada curva. E, por mais que a água Te seja turva, Te apegas ao teu cajado lívido E te lanças...
Ah, essas crianças.... Coitadas, matreiras, Que paixões faceiras Elas te insuflam!
Mas, não te aflijas, Malandro! As folhas de Coqueiro Até hoje me camuflam; Essas quais te dão cheiro, Charme e te são por travesseiro.
Elas te protegerão do Céu Que te esmaga; Te sustentam o Véu Que te puxa... Vai-te, joga-te! Paga!
Dissolve esse breu medonho! Não te entendem jamais Quando grita do teu Profundo Inferno, esse seu Demônio! Que na Vida te ponho, Recobro, te assanho! Não ri o que pensa que venceu, Quando a Vitória desapareceu, Nessa Vida que é  Um Sonho dentro de um Sonho?



*******
Visite meu outro blo…