14 de março de 2009

Prosa com o "Patrão" lá de cima

Meu prezado deus dos cristãos. Podemos ter dois dedim de prosa? Não, sou cadastrado não. Mas olhe, é sobre seu filho. Isso. Eu tinha jurado que não ia me meter nesse babado de Jesus Cristo com Maria Madalena. Mas um dia, veja o Senhor, tava eu quieto no meu canto quando me chegou um imeio de um tal correio missionário não-sei-das-quantas. O cidadão vociferava contra o filme O Código Da Vinci, conclamava os cristãos a não assistir, não deixar os filhos verem, a protestar e exigir a proibição do filme.

Ah, Senhor, aí pisou no meu calo. Quando falou em proibir, eu não aguentei. Lembrei da indignação que senti quando proibiram Je vous Salue, Marie e quando tentaram proibir A Última Tentação de Cristo. O Senhor lembra, né? Então levantei, fui no armário, abri o compartimento secreto e tirei de lá minha armadura de Cavaleiro da Orguli. Como? O Senhor não conhece a Ordem dos Guardiões da Liberdade Individual? Ôxe, mas o Senhor não é onisciente? Ah, tá, o Senhor anda muito ocupado com Oriente Médio, eu sei. Infelizmente não posso falar muito sobre a Ordem pois ela é meio secreta, tipo a Opus Dei, entende? Heim? O Senhor não quer nem ouvir falar de Opus Dei? Eu entendo. Aliás, sempre desconfiei que se Deus existisse, ele seria mesmo contra a religião.

Decidi fazer uso da armadura de novo. Então aqui estou, descumprindo meu juramento de não entrar na fofoca mas cumprindo o sagrado juramento da Ordem de sempre acudir o chamado da liberdade. Não, dessa vez não é pra defender a liberdade de expressão. Agora é pra defender o direito de um deus se casar. Apesar de não ser cristão, nasci e vivo imerso numa cultura cristã e por isso o tema me toca também.

O Senhor não me leva a mal mas a história de seu filho Jesus não tá bem contada não. Entre outras coisas a gente não sabe como foi sua infância, a adolescência e nem o que ele fez dos doze aos trinta. Os padres dizem que ele nunca casou, apesar de ser um tipão, pelo menos de acordo com as pinturas: alto, forte, loiro, pele branquinha, olhos azuis.... Aliás, como o Senhor explica esse tipo físico ali naquele sol da Palestina? Jesus tá mais pra ET do que pra galileu. Heim? Ah, é verdade, o Senhor é um ET, já que não nasceu na Terra.

Agora entendi. Logicamente a gente começa a pensar, né, Senhor, e aí fica encucado com certas coisas. O moço não casou, não teve namorada, não teve filho... Que estranho, né? Ops, longe de mim insinuar que Jesus não era chegado, imagina. O que eu tô querendo dizer é que a Igreja oficializou essa versão sobre a vida de seu filho pra endeusar ao máximo e humanizar ao mínimo o personagem. E inventou que Maria Madalena era puta pra desqualificar o fator feminino e depois teve que negar mas manteve os evangelhos e eles se contradizem e aí a Igreja fica toda melindrada porque as pessoas questionam e levantam hipóteses. Ora, marrapá! Mas eu entendo o motivo da versão: um Jesus casado incentivaria os discípulos a também casarem. E aí os filhos herdariam as riquezas da Igreja. Não ia dar certo, né? Oquei, o Senhor não quer se meter, tudo bem. Eu falei do fator feminino, né? Poizé. A Igreja jamais seria essa instituição masculina e patriarcal se Maria Madalena estivesse à frente do apostolado. Caça às bruxas certamente não teria havido. Se com a mãe de seu filho, Senhor, já foi difícil ceder e abrir espaço pra ela no panteão católico, coisa que oficialmente só aconteceu no século 20, imagine com uma mulher que a própria Igreja sempre pintou como sendo prostituta, suja ou, na melhor das hipóteses, forte e independente?

É, Maria Madalena é mesmo um calo no sapato. Não sei como seria se ela e Jesus tivessem se casado, ou pelo menos se amancebado, e tido Jesuzinhos e Madaleninhas. No mínimo hoje os herdeiros estariam numa briga louca com a Igreja pelos direitos relativos aos evangelhos. Um herdeiro de Jesus – já pensou a boçalidade de um cidadão desse? Você sabe com o descendente de quem você tá falando, sabe? Seria uma chatice tremenda. E Madalena, coitada... Não por Jesus, que me parece muito gente boa, mas... ter como sogro o Senhor? Sei não.

As religiões deveriam ter mais deusas. Isso traria mais equilíbrio ao mundo e ao espírito das pessoas. Mas já que não têm, vamos ao menos deixar que Jesus se case, coitado! Um tipão daquele morrer vitalino! Vou até dar uma idéia à Igreja: Jesus casou com Maria Madalena. Com separação de bens. E depois se divorciaram. E os descendentes concordaram em jamais reivindicar qualquer bem. Pronto, resolvido. O Senhor gostou? Pelo menos o Senhor tem senso de humor. Aliás, já que estamos assim tão amigos, posso lhe fazer uma pergunta? Obrigado. Por que o Senhor nunca casou?

Fonte: http://www.ricardokelmer.net/
Ricardo Kelmer é escritor, letrista e roteirista e mora em São Paulo, Terra, 3a. pedra do Sol.