15 de agosto de 2009

Os Amores e a diferença de idades

Ontem soube que uma amiga minha de 23 anos estava namorando seriamente com um homem bem mais velho que ela. Não o conheço pessoalmente, por isso não posso dizer o que acho dele. Mas, no caso dela, acho que pode ser uma boa experiência de vida. Quem sabe se não?!

Também sou da opinião de que o Amor não tem idade, e que a mesma não seja um distintivo para dizer se será bom ou não. O que importa é o caráter, a sinceridade e a vontade de os dois estarem juntos realmente. É claro, o mais novo, por causa da natureza, tende a ser mais voluntarioso, ciumento, imaturo. Mas isso pode variar. Cada caso é um caso.

Mas o que pode atrapalhar num relacionamento com diferença de idades?? Bem, geralmente pessoas de idades diferentes não estão esperando a mesma coisa da vida. Geralmente, quem é mais maduro espera uma relação mais tranquila, sem muitos sobressaltos. As aventuras, para pessoas assim, tendem a ser, no máximo, esporádicas. Já sabem, na maioria das vezes, o que querem da vida (profissional, pessoal, etc.). As pessoas mais jovens, no entanto, querem tudo da vida, e ao mesmo tempo, nenhum compromisso. Querem tudo, mas não querem nada também! As aventuras e o insólito tendem a ser o alvo de suas esperanças imediatistas, pois a Natureza os infla de energia irresistível.

O sexo, para os mais jovens, consiste naquele egoísmo pelo prazer, e o céu é o limite!! Para a maturidade, o sexo é mais cumplicidade, a certeza e a segurança de que a outra pessoa está com você mesmo, e o prazer advém de corpos já completos. O sexo e o Amor na maturidade são já translúcidos; na juventude, é mais fogo-de-palha!!

Essas pequenas diferenças características podem atrapalhar, e muito, os relacionamentos de pessoas de idades diferentes. Nem em relação a um ou outro, essas características podem ser taxadas de defeitos. São, apenas, inerentes àquela idade.

E mais que idade biológica, a "idade" é um estado de espírito. Conheço um casal de velhinhos aqui da rua, e principalmente a velhinha que já tem 91 anos, que fazem um barulhão todas as noites que chegam do baile. E demoram a sossegar. Esses dias, passando à noite pela frente da casa deles, chegando do trabalho, escutava ruídos desesperados vindos do quarto deles, que fica na parte da frente da casa.

Mas me lembrei de algo interessante da minha adolescência: era apaixonado (sentia um baita tesão mesmo!!) pela minha professora de Geografia. É aquela coisa: Quem é mais jovem quer alguém mais experiente para lhe ensinar as "coisas da vida", e quem é mais maduro quer os mais inocentes para lhes passar segredos de Anatomia e Ciências...