Pular para o conteúdo principal

O Instante Mágico





O instante mágico


É preciso correr riscos. Só
entendemos direito o milagre da vida quando deixamos que o inesperado possa se
manifestar.

Todos os dias Deus nos dá – junto com o sol – um momento em que é
possível mudar tudo que nos deixa infelizes. Todos os dias procuramos fingir que
não percebemos este momento, que ele não existe, que hoje é igual a ontem e será
igual a amanhã. Mas, quem presta atenção, descobre o instante mágico. Ele pode
estar escondido na hora em que enfiamos a chave na porta pela manhã, no silêncio
logo após o jantar, nas mil e uma coisas que nos parecem iguais. Este momento
existe – um momento em que toda a força das estrelas passa por nós, e nos
permite fazer milagres.

A felicidade às vezes é uma bênção – mas geralmente é uma conquista. O
instante mágico nos ajuda a mudar, nos empurra em busca de nossos sonhos. Vamos
sofrer, vamos ter momentos difíceis, vamos enfrentar muitas desilusões – mas
tudo isso é passageiro, inevitável, e terminaremos nos orgulhando das marcas que
foram deixadas pelos obstáculos. No futuro, podemos olhar para trás com orgulho
e fé.

Pobre de quem teve medo de correr os riscos. Porque este talvez não se
decepcione nunca, nem tenha desilusões, nem sofra como aqueles que têm um sonho
a seguir. Mas quando olhar para trás – porque sempre olhamos para trás – vai
escutar seu coração dizendo: “O que fizeste com os milagres que Deus semeou por
teus dias? O que fizeste com os talentos que teu Mestre te confiou? Enterraste
fundo em uma cova, porque tinhas medo de perdê-los. Então, esta é a tua herança:
a certeza de que desperdiçaste tua vida”.

Pobre de quem escuta estas palavras. Porque então acreditará em
milagres, mas os instantes mágicos da vida já terão passado.

Temos que escutar a criança que fomos um dia, e que ainda existe dentro
de nós. Esta criança entende de instantes mágicos. Podemos sufocar seu pranto,
mas não podemos calar sua voz.
Se não nascermos de novo, se não tornarmos a
olhar a vida com a inocência e o entusiasmo da infância, não existe mais sentido
em viver.

Existem muitas maneiras de se cometer suicídio. Os que tentam matar o
corpo ofendem a lei de Deus. Os que tentam matar a alma também ofendem a lei de
Deus, embora seu crime seja menos visível aos olhos do homem.

Prestemos atenção ao que nos diz a criança que temos guardada no peito.
Não nos envergonhemos por causa dela. Não vamos deixar que ela tenha medo,
porque está só e quase nunca é ouvida.

Vamos permitir que ela tome um pouco as rédeas de nossa existência.
Esta criança sabe que um dia é diferente do outro.

Vamos fazer com que se sinta de novo amada. Vamos agradá-la – mesmo que
signifique agir de maneira a que não estamos acostumados, mesmo que pareça
tolice aos olhos dos outros.
Lembrem-se de que a sabedoria dos homens é
loucura diante de Deus. Se escutarmos a criança que temos na alma, nossos olhos
tornarão a brilhar. Se não perdermos o contato com esta criança, não perderemos
o contato com a vida.



Vivamos todos os instantes mágicos de 2009!


Postagens mais visitadas deste blog

Greenpeace e LBV: Mercantilismo no Terceiro Setor

Com quase toda certeza, você já ouviu falar ou leu acerca do Greenpeace e da LBV, certo? Mas, você conhece, a fundo, a forma com a qual eles trabalham fora da mídia?
Com a tal onda de ativismo socio-ecológico e a ilusão de que poderíamos mudar o mundo político através da Internet, instituições como o Greenpeace e a LBV começaram a ganhar ainda mais espaço do que jamais suas imagens na mídia tinham conseguido. Com o advento da ditadura das redes sociais sobre a Consciência das pessoas, recriando modas, mudando a linguagem na comunicação, o que mais se fortaleceu foi o alcance dos instrumentos de marketing global dessas instituições, não a Conscientização dos seres humanos.  
E sabem por quê? Porque as cúpulas dirigentes dessas instituições dependem, em maior grau, do poder que o dinheiro proporciona à sanha do egoísmo, em consonância com os ditames de uma elite globalmente dominante. Sabem, também, que a maioria dos seres humanos não pensa, não raciocina, nem questiona, mas apenas reage …

Chico Anysio e a Velha Puta

Nesse dia, após sua partida deste Mundo, vamos relembrar e celebrar a inteligência e a acidez desse que foi o maior humorista brasileiro, Chico Anysio. Vá em Paz e obrigado pelo legado de sua Obra!



2012: Maias, Nostradamus e Nibiru

Sou mesmo muito curioso e atraído irresistivelmente para os mistérios que se me apresentam às vistas. Quando eu era criança, depois das aulas de Ciências, chegava da escola pra pesquisar como poderiam as formigas serem mais organizadas que os seres humanos em sua mini-sociedade. Como as abelhas determinavam quando ocupar uma área, criar ou abandonar uma colméia? Como poderia o ar, algo invisível, derrubar torres de energia e ainda as manifestações mediúnicas serem relegadas ao campo das superstições pela Ciência empirica e caolha?
Isso tudo me assombrava quando criança, e o cientista maluco mirim aqui era deixado de lado pelos covis dos populares no Colégio. Perguntavam-se como poderia um garoto de 10 anos de idade preferir jogar "futebol" com um frasco vazio de vinagre por tardes inteiras a juntar-se às algazarras dos campos de várzea? Não era por demasiado orgulho, embora este sobressaísse; era por saber que nosso tempo é mais útil se usado para nosso desenvolvimento inte…