23 de junho de 2009

Sol e Lua


Amar é um ato encenado
Por penduricalhos, de Sol e Lua casados.
Mas do que vale ao Sol apaixonado
Estar eternamente
Do rumo da Lua distanciado?
Do que aproveita ao Sol
Pela Lua estar atraído,
Se, para sempre estar em oposição
À mesma Lua, não faz nenhum sentido?


É o Sol estar preso sem vontade,
Ao centro da órbita, todo garboso,
Sendo o inteiro luminoso
De sua obscura metade.