Pular para o conteúdo principal

Bandido instrui criança sobre como roubar e matar (Ah, se eu pego um f.d.p. desse sem arma...)

A polícia de Santa Catarina procura um homem, já condenado pela Justiça do Paraná por assalto, visto em um vídeo caseiro em que ensina duas crianças - o próprio filho, de 4 anos, e uma sobrinha, 3 anos, a roubar.

No vídeo, uma boneca é usada para representar uma vítima e um revólver de brinquedo é colocado nas mãos de uma menina de 3 anos. A criança é sobrinha do homem procurado, que é também suspeito de liderar uma quadrilha que sequestrou por 32 horas uma mulher e o filho dela, de 3 anos, depois de serem levados de um hotel na cidade de Penha, litoral norte de Santa Catarina.



O cartão de visitas do marido da vítima, funcionário de um grande estaleiro, chamou a atenção de uma camareira do hotel. “Na verdade, a camareira pensou que ele fosse rico, e passou informações para os comparsas”, diz o delegado Renato Hendges. A camareira foi presa junto com a irmã e a mãe. Na casa delas, também na cidade de Penha, a polícia encontrou o vídeo. Quem aparece na imagem é o homem procurado pela Justiça e também marido da camareira. É ela quem grava a cena. Ele ensina o filho e a sobrinha como fazer um assalto.

Fonte: Portal G1


*******
Não se surpreendam!! Isso aí é só a pontinha do iceberg de tudo que acontece de porcaria e m***da que acontece no submundo sem educação e sem a presença do Estado. Se mesmo nos lugares em que o Estado está presente, não há a moralização e a ordem que a sociedade espera, imaginem o que ocorre onde a escória se abriga!! Lá há droga liberada para vrianças, bailes com prostituição infanto-juvenil sem constrangimento e com a anuência de muitas comunidades, sem contar a corrupção generalizada e corriqueira.

Ah, se eu fosse general do Exército e Comandante do Estado-Maior!! Ah, se esse cara fosse parar aqui em casa!!´Ah, se ele faz isso com um filho meu...

Postagens mais visitadas deste blog

Greenpeace e LBV: Mercantilismo no Terceiro Setor

Com quase toda certeza, você já ouviu falar ou leu acerca do Greenpeace e da LBV, certo? Mas, você conhece, a fundo, a forma com a qual eles trabalham fora da mídia?
Com a tal onda de ativismo socio-ecológico e a ilusão de que poderíamos mudar o mundo político através da Internet, instituições como o Greenpeace e a LBV começaram a ganhar ainda mais espaço do que jamais suas imagens na mídia tinham conseguido. Com o advento da ditadura das redes sociais sobre a Consciência das pessoas, recriando modas, mudando a linguagem na comunicação, o que mais se fortaleceu foi o alcance dos instrumentos de marketing global dessas instituições, não a Conscientização dos seres humanos.  
E sabem por quê? Porque as cúpulas dirigentes dessas instituições dependem, em maior grau, do poder que o dinheiro proporciona à sanha do egoísmo, em consonância com os ditames de uma elite globalmente dominante. Sabem, também, que a maioria dos seres humanos não pensa, não raciocina, nem questiona, mas apenas reage …

Chico Anysio e a Velha Puta

Nesse dia, após sua partida deste Mundo, vamos relembrar e celebrar a inteligência e a acidez desse que foi o maior humorista brasileiro, Chico Anysio. Vá em Paz e obrigado pelo legado de sua Obra!



2012: Maias, Nostradamus e Nibiru

Sou mesmo muito curioso e atraído irresistivelmente para os mistérios que se me apresentam às vistas. Quando eu era criança, depois das aulas de Ciências, chegava da escola pra pesquisar como poderiam as formigas serem mais organizadas que os seres humanos em sua mini-sociedade. Como as abelhas determinavam quando ocupar uma área, criar ou abandonar uma colméia? Como poderia o ar, algo invisível, derrubar torres de energia e ainda as manifestações mediúnicas serem relegadas ao campo das superstições pela Ciência empirica e caolha?
Isso tudo me assombrava quando criança, e o cientista maluco mirim aqui era deixado de lado pelos covis dos populares no Colégio. Perguntavam-se como poderia um garoto de 10 anos de idade preferir jogar "futebol" com um frasco vazio de vinagre por tardes inteiras a juntar-se às algazarras dos campos de várzea? Não era por demasiado orgulho, embora este sobressaísse; era por saber que nosso tempo é mais útil se usado para nosso desenvolvimento inte…