22 de fevereiro de 2009

Palhoça, SC: Minha Terra

A princípio, criei esse blog para postar minhas memórias, que estavam sendo comidas pelo tempo e pelas traças entre pilhas de cadernos. Mas, pelo entusiasmo, acabei diversificando demais os temas das postagens, fugindo assim do objetivo principal. A partir de agora será diferente...

Eu nasci a 25 de Outubro de 1980, às 23h15min, na Maternidade Carmela Dutra, em Florianópolis, SC. Meus pais moravam, naquela época, em Palhoça, distante 13 km de Florianópolis. Minha mãe continua morando no mesmo terreno em que foi criada, em Palhoça. Meu pai mora agora em Balneário Camboriú, SC. É sobre a cidade de Palhoça que vou falar agora, e citar também alguns locais dela que me marcaram.

Praia da Guarda do Embaú, vista do Morro do Urubu

Localizada entre o litoral e a Serra do Mar, Palhoça SC é hoje uma das cidades que mais oferecem alternativas de lazer para os turistas. Entre as praias mais conhecidas destacam-se Enseada de Brito, Guarda do Embaú, Pinheira e Praia do Sonho.

Praias e ilhas paradisíacas, morros que revelam maravilhosas vistas e parques ecológicos onde é possível sentir a natureza em sua plenitude. Tudo isso está localizado no município de Palhoça SC a apenas 15 quilômetros de Florianópolis. A exuberância natural do lugar fez com que a cidade fosse reconhecida pela Embratur como pólo turístico.

As tradições, costumes e arquitetura deixados pelos colonizadores de origem portuguesa, açoriana, italiana e alemã ainda hoje estão presentes no dia-a-dia de Palhoça SC. Outro aspecto relevante do município é o seu artesanato diversificado, destacando-se entre eles o artesanato indígena, que resgata os valores e a cultura daquele povo. No município ainda existem engenhos e alambiques que produzem artesanalmente a farinha e a cachaça.

Palhoça possui um dos maiores mangues de toda a América do Sul. Quase 70% de sua área é composta pela Mata Atlântica, que pertence ao Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. Considerado a maior unidade de conservação do Sul do Brasil, com 90 mil hectares, o parque é destino obrigatório de quem visita Santa Catarina. O local ocupa área de nove municípios, sete ilhas e apresenta grande diversidade de ecossistemas, incluindo campos de altitude, mata nebular, floresta de araucárias, restingas e manguezais. Isso, sem falar no território de Palhoça se concentram 87% da área do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, a maior área preservada de mata nativa de SC, e que abriga centenas de espécies atualmente em extinção em seu ecossistema.


Fotos Selecionadas:


Sede do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro


Morro do Cambirela, com 1.043 m de altitude. Subi várias vezes. A vista de lá de cima é, literalmente, celestial. Leva-se entre 2h30 a 3h para se alcançar o cume, que é o mais alto do litoral catarinense.


Ilha dos Papagaios, na Ponta de mesmo nome, destino de férias de muita gente famosa.


À esquerda: a Igreja Matriz Sr. Bom Jesus de Nazaré. À direita: Igreja Nossa Sra. do Parto, a primeira construída no centro de Palhoça.
Ambas na área central da cidade.



Antigo, na verdade, o primeiro prédio da Prefeitura Municipal,
construído em 1895. Hoje, já não é Sede oficial do governo.




Mangues de Palhoça.
Palhoça, hoje, ainda possui umas das maiores áreas preservadas de manguezais de toda a América do Sul, ameaçadas pelas construções ilegais, a despeito de serem preservadas por Leis Municipais e Parques Ambientais.



Igreja Nossa Sra. do Rosário, Enseada de Brito.
A igreja mais antiga do município, erguida em 13 de maio de 1750.


Essa é minha cidade, minha terra, e cujas histórias contarei, em outras oportunidades, mescladas às minhas próprias, pois que tudo que vivi de mais significativo se encontra marcado no chão dessa terra.