7 de outubro de 2009

Versos Supremos (para Gê Sampaio)




Para Gemária Sampaio, que me inspirou, em um de seus posts, esses...


Versos Supremos


A partir deste momento, alma minha,
As letras de tua vida se desgrudam
Da tênue folha, da vã e pálida linha,
Onde os verbos em sons puros se mudam.

A partir deste ponto, não serás ponto;
De agora em diante, serás mais um conto;
De poesia encarnada, a vida então te exime
De escrever, obra posta, és agora sublime.

Vôe com os mantras do coração, satisfeito;
Beba da velha bica o último bom vinho.
Tome da mesa eterna de Luz, o teu leito.

Que o velho véu da mente, como pergaminho,
Se desenrole ante ti, mas sem desalinho,
Para o último verso, epílogo, em meu peito.